Ecorregião das Dunas do São Francisco

Localização, Limites, Explicação dos Limites e Tamanho

Ecorregião da parte centro-oeste do bioma, inteiramente circundada pela ecorregião da Depressão Sertaneja Meridional. Os limites respeitam os limites naturais da região das dunas de areias quartzosas, que são disjuntas, conectadas por um trecho de solos arenosos sem dunas, terminando onde os solos se modificam ao norte e oeste para latossolos. O limite diagonal sul é quase todo definido pelo rio São Francisco, e a sudoeste limita com a Serra do Estreito na Bahia (limite de altitude). A maior parte da ecorregião fica a oeste do rio São Francisco.

Tamanho: 36.170 km2.

Unidades Geoambientais do ZANE

Nesta ecorregião estão presentes as unidades da Depressão sertaneja (F10, F15, F22, F23, F24, F27, F29); Dunas continentais (Q1, Q2); Grandes áreas aluviais (N1); Maciços e serras baixas (T2).

Tipos de Solo, Geomorfologia, Relevo e Variação de Altitude

As dunas são formadas por extensos depósitos eólicos, podendo ultrapassar 100 m de altura. Os solos são arenosos e profundos, de areias quartzosas, com fertilidade muito baixa. Existem elevações residuais de solos litólicos e afloramentos de rocha. Nas depressões interdunares existem veredas com características hídricas mais favoráveis. Os únicos recursos hídricos provêm das escassas chuvas e dos riachos efêmeros que nascem na região. A altitude varia de 450-500 m na área das dunas propriamente ditas, e de 150-700 m no resto da ecorregião.

Clima

O clima da ecorregião é muito quente e semi-árido, com estação chuvosa de outubro a abril e precipitação média anual de aproximadamente 800 mm na parte sul. A parte norte da ecorregião é mais seca, com precipitação média em torno de 470-500 mm/ano.

Grandes Processos Característicos ou Influências

As dunas são formadas pelos ventos alísios de sudeste, que movimentam os sedimentos arenosos. A temperatura alta do solo (areia) é um fator importante, mas não há grande diferença de temperatura ambiente entre dia e noite. Na parte mais baixa entre as dunas, de relevo muito plano (Tabuleiro de Remanso, na parte central da ecorregião), o fator mais importante é a inundação periódica, principalmente na região de Remanso.

Tipos de Vegetação

Caatinga agrupada em moitas, predominantemente arbustiva. As moitas são densas, geralmente com arvoretas e muita macambira (Bromelia laciniosa). Nas áreas de tabuleiro, a caatinga é mais esparsa.

Exemplos de Grupos Taxonômicos Típicos

1. Flora:

Espécies endêmicas:

2. Fauna:

Estado de Conservação Estimado

Geralmente bem conservada, especialmente na área de dunas (aproximadamente 80% conservada) - mas existe extração de lenha, que ameaça a estabilidade das dunas. A área de Remanso é bem mais antropizada (agricultura, pecuária), e há planos de abertura de estradas de Barra (BA) para o norte.

Unidades de Conservação Presentes

Não existem unidades de conservação nesta ecorregião.

Fonte: Plantas do Nordeste